A PRODUÇÃO

AMENDOAL

A Quinta da Fonte do Lobo tem vários amendoais: uns mais jovens, com cerca de 4 anos e já a produzir em força e outros com mais de 20 anos. Produção em regime extensivo cujas práticas específicas promovem a proteção e preservação dos solos, da biodiversidade e da qualidade do produto, apanha mecanizada e certificação concedida pela Kiwa Sativa pelo Modo de Produção Biológico.

Produtos autênticos, de qualidade e de Portugal.

As nossas variedades de amêndoa:
Ferragnes, Ferraduel, Laurene, Masbovera e Francolí.

Para atingir o maior potencial de produção possível, apostou-se na reconversão das culturas de sequeiro para regadio. Um dos principais desafios do desenvolvimento da cultura do amendoal na nossa propriedade xistosa é a disponibilidade hídrica e foi essa a principal razão para os investimentos realizados com o objetivo de sustentar as regas ao amendoal.

Sabendo-se dos desafios, quisemos assegurar o nosso lugar no mercado. Compreendemos também que as condições edafoclimáticas da região do Douro são muito favoráveis para a cultura da amendoeira e que a procura mundial de amêndoa é atualmente superior à produção. Recorde-se que Portugal representa 1% da produção mundial de amêndoa (FAOSTAT, 2016).

É também de conhecimento geral que o aumento do consumo da amêndoa tem crescido exponencialmente, facto associado ao seu valor nutricional e às vantagens que o seu consumo traz sobre a saúde humana.

Não há parte da amêndoa que não seja aproveitada por aqui e até a casca tem utilidade.

A casca da amêndoa é altamente calórica (chamamos-lhe de biomassa) e pode ser usada para o aquecimento de casas, escolas e outros estabelecimentos que tenham o equipamento adaptado para a queima deste subproduto.

Antes da venda, só vamos britando (ou descascando a casca dura) à medida das nossas encomendas. Significa que até este momento, a qualidade e frescura do produto são garantidos por nós e durante todo o ano.

Após a britagem, a amêndoa dura uns bons meses se guardada em ambiente propício à sua preservação!

Ao mesmo tempo que a britagem da amêndoa acontece, o miolo é também separado por calibre, para que consigamos sempre manter um tamanho de miolo homogéneo e uniforme nas vossas encomendas.

VINHA

As nossas vinhas caracterizam-se pela mistura de castas tradicionais, provenientes de videiras que em alguns casos, já ultrapassaram os 40 anos de existência. As nossas vinhas são predominantemente orientadas a sul, poente e nascente, apresentam-se dispostas em vinhas a direito e em socalcos e em altitudes que variam entre os 400m e os 500m.

É nas encostas do Rio Torto que as nossas vinhas encontraram a sua localização privilegiada. No coração da primeira região demarcada do Mundo e património mundial da humanidade pela UNESCO, as vinhas velhas
da Quinta da Fonte do Lobo são um perfeito exemplo da qualidade e diversidade das vinhas do Douro Vinhateiro.

...um terroir único

Seguindo os valores e as práticas tradicionais da região, a vindima das nossas uvas realiza-se manualmente.
Nas nossas vinhas velhas podem encontrar-se as seguintes castas:
Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Barroca, Tinta Roriz

As nossas vinhas, são certificadas pela entidade certificadora Kiwa Sativa, pelas práticas de proteção integrada implementadas em todos os campos de ação relacionados com esta cultura (vinha com benefício para a produção de vinho do Porto – Região Demarcada do Douro).

A prática da proteção integrada exige um amplo conhecimento da cultura, dos organismos auxiliares da cultura, dos seus inimigos, assim como dos diversos fatores que contribuem para a sua nocividade (bióticos, abióticos, culturais e económicos) de forma a se efetuar, adequadamente, a estimativa do risco resultante da presença desses inimigos.

A produção integrada é um sistema agrícola de produção de produtos agrícolas e géneros alimentícios de qualidade, baseado em boas práticas agrícolas, com gestão racional dos recursos naturais e privilegiando a utilização dos mecanismos de regulação natural em substituição de fatores de produção, contribuindo, deste modo, para uma agricultura sustentável.

A produção integrada tem por base os seguintes princípios:
• Regulação do ecossistema, importância do bem-estar dos animais e preservação dos recursos naturais;
• Exploração agrícola no seu conjunto, como a unidade de implementação da produção integrada;
• Atualização regular dos conhecimentos dos agricultores sobre produção integrada;
• Manutenção da estabilidade dos ecossistemas agrários;
• Equilíbrio do ciclo dos nutrientes, reduzindo as perdas ao mínimo;
• Preservação e melhoria da fertilidade intrínseca do solo;
• Fomento da biodiversidade;
• Entendimento da qualidade dos produtos agrícolas tendo por base parâmetros ecológicos, assim como critérios usuais de qualidade, externos e internos;
• Proteção das plantas tendo obrigatoriamente por base os objetivos e as orientações da proteção integrada;
• Minimização de alguns dos efeitos secundários decorrentes das atividades agrícolas.

SOUTO

Os nossos primeiros castanheiros têm mais de 50 anos. O souto da Quinta é constituído, na sua totalidade, por castanheiros da variedade Martaínha.

Devido às crescentes exigências do mercado em produtos de qualidade e para a preservação e valorização do património genético nacional, foram criadas regiões demarcadas com denominação de origem protegida
que inclui a variedade Martaínha.

Região demarcada com denominação D.O.P

A área de produção abrange algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Armamar, Lamego, Moimenta da Beira, Penedono, S. João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca e Trancoso numa área de cerca de 4.000 ha

O castanheiro europeu (Castanea sativa Mill) pertence à família das Fagáceas, a mesma família a que pertencem os carvalhos, e ao género Castanea. Pode atingir 25 a 30 metros de altura, possui copa ampla, tronco revestido por casca, que vai mudando de cor e de textura com a idade, sendo olivácea e lisa até aos 15-20 anos, passando depois a castanha escura e fendida longitudinalmente. As folhas são caducas, alternas simples em forma de lança com 10 a 25 cm de comprimento e frouxamente serradas.

Características nutricionais da castanha:
• É menos calórica (tem cerca de um terço das calorias dos outros), tem pouca gordura e é significativamente rica em vitamina C, o que ajuda a fortalecer o sistema imunitário;
• É rica em amido, é um alimento energético, é isenta em colesterol e tem baixo teor em gordura, ajuda a combater a arteriosclerose;
• Não tem glúten, é recomendada na dieta dos doentes celíacos;
• Tem baixa concentração de açúcares solúveis, tem efeito anti diabético;
• Tem baixo teor de Sódio, contribui para reduzir a pressão arterial;
• É rica em vitamina C e cálcio, previne a osteoporose;
• Tem elevado teor de potássio e fósforo, ajuda a regular o batimento cardíaco;
• É rica em ácido fólico, ajuda a reduzir o stress.

OLIVAL

As nossas oliveiras, são igualmente certificadas pela entidade Kiwa Sativa pelo seu modo de produção biológico.
O nosso olival é constituído por oliveiras muito antigas, na sua maioria, e por algumas oliveiras centenárias.

As Oliveiras estão espalhadas pela propriedade e as azeitonas que delas provêm são utilizadas para a produção de azeite para consumo caseiro.

Oliveiras centenárias em regime extensivo

O solo xistoso da propriedade da Quinta da Fonte do Lobo apresenta-se como ideal para o desenvolvimento de azeitonas de qualidade.

O olival é uma cultura familiar e milenária, havendo relatos da sua existência em épocas pré-históricas, e é integrante da paisagem e cultura portuguesas, desde sempre apresentando diversos usos e fins, assim como a alimentação, medicina, iluminação, religião, entre outros.
A oliveira prospera em quase todos os tipos de solo, embora prefira os de textura moderadamente fina, assim como francos, francolimosos, franco-argilosos e franco-argilo-limosos, ricos em calcário, com boa profundidade (cerca de 1 m) e bem drenados. Dá-se em solos moderadamente ácidos a ligeiramente alcalinos (pH 8,5).